Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Mundo dos Queijos

Um mundo derretido ou fresco, inteiro ou as fatias suíço, francês ou até português. À entrada, como sobremesa ou até mesmo no prato principal. Neste mundo, come-se de tudo!

O Mundo dos Queijos

Um mundo derretido ou fresco, inteiro ou as fatias suíço, francês ou até português. À entrada, como sobremesa ou até mesmo no prato principal. Neste mundo, come-se de tudo!

Amanhã bem cedinho:

por omundodosqueijos, em 23.07.10

Que posso fazer? Sou mesmo boa pessoa

por omundodosqueijos, em 22.07.10
Vou ali dar o meu ombro "amigo" ao meu sofá que coitadinho, está pra ali abandonado, sozinho. É ele hoje que precisa de mim, qui ça, eu amanhã precise dele. Isto é assim mesmo, estamos aqui uns para os outros.

O momento por que mais espero

por omundodosqueijos, em 20.07.10

Pode parecer estúpido, até porque o é. Mas eu vou às aulas, no ginásio, com muito sacrifício. Há quem diga que faz bem à saúde física e mental, só que, eu não gosto de ir às aulas. Porque cansam-me. E é estúpido eu pagar uma mensalidade para alguém me obrigar a cansar. Ah e tal, há convívio (que dura apenas segundos, os mesmo segundos antes de entrarmos em enfarte agudo de miocárdio), ah e tal, porque isto e porque aquilo. Tretas. Ir ao ginásio é estúpido. E eu também o sou, porque vou, porque fui e porque continuarei a ir.

No entanto, há um momento, pequeno é bem verdade, mas há. Em que eu não me arrependo, em que não acho estúpido ir. É o momento em que a professora apaga às luzes, pede-nos para deitarmos no colchão e a música muda radicalmente. Começamos então a ouvir à Pink.

Fechamos os olhos e eu durmo. Sabe tão mas tão bem. E isto é realmente estúpido.

O quão eu gosto disto

por omundodosqueijos, em 18.07.10

Sanjo - We're back!

por omundodosqueijos, em 17.07.10

Não gosto, não

por omundodosqueijos, em 17.07.10

Estou eu descansada da vida, a olhar para as prateleiras à procura do que me tinha motivado deslocar até ao hipermercado, quando oiço uma voz familiar dizer:

-Ajuda o papá a virar o carro para este corredor, temos de ir ali cumprimentar aquela menina bonita.

Se podia ter ficado satisfeita com aquele comentário, até que podia, não fosse o comentário ter sido dito por um ex-colega do curso de formadores (E uí, onde isso já lá vai).

Era ele, o chato, que me irritava com as piadas parvas sobre mulheres e outras vá, o chato que me irritava porque achava que essa seria a melhor forma de conseguir fazer o curso. E a pior forma de eu fazer o meu. (Um chato fixe, até que tenho de concordar, que diga o meu clã, que por várias vezes ponderamos juntar esse chato, ao nosso clã).

Tivemos um minuto de conversa circunstancial, do género então que tens feito e blá blá blá, quando e de repente ele diz-me:

- Este (um mulatinho, demasiado pequenino e giro para já caminhar, mesmo fofinho, daqueles que apetece fazer cuchi-cuchi) é meu filho. Fiquei de queixo caído, até porque conhecia a mulher e sabia que ela era “branca” (sem qualquer tom de racismo, por favor, apenas me passou pela cabeça que ele a tivesse trocado). Mas não, porque ele continuou.

- Adoptei a 3 meses, é guineense, mas agora é o meu filho.

Provavelmente a conversa até evoluiria para outras circunstanciais, mas a palavra: “ADOPTEI-O” bombardeou-me a cabeça e não consegui parar de pensar nos (verdadeiros e genuínos) filhos dele.

Tenho medo, tenho muito medo que isso me aconteça… não quero mais irmãos, muito menos falsos irmãos. NÃO QUERO.

Mãe, não somos a Santa Casa da Misericórdia

por omundodosqueijos, em 15.07.10

Se assunto que me incomoda à hora de jantar, são os episódios de Madre Teresa de Calcutá que a minha mãe vive.

Mãe - ... Ai e tal, coitadinha daquelas meninas, agora sem mãe. O Pai coitado não vai certamente dar conta do recado sozinho. Eu não paro de pensar neles, principalmente da bebé mais nova. A miúda só tem 2 aninhos e pergunta pela mamã dela todos os dias, engasgo-me sempre que tenho lhe de responder. Eles não mereciam isto. Blá blá blá.

Eu - :x

Mãe - Sabes, eu andei a pensar... E se eu... e o teu pai... falássemos com o pai das crianças e prepusemos... adoptar a "Felisberta*"?

Eu - &#@&%"? MAS É QUE NEM PENSAR!

Vamos lá ver uma coisa, eu aturo, sabe lá Deus como, um irmão que não tive escolha, agora tinha de aturar os filhos dos outros? Por escolha? Mas é que nem pensar mesmo. Não há espaço. Nem paciência. Nem pachorra! E porque não. NÃO!

*Felisberta - nome fictício, suficientemente mau, tal como a ideia.

Não sei o que me apetece receber no meu aniversário :|

por omundodosqueijos, em 15.07.10

Para não bater em ninguém...

por omundodosqueijos, em 13.07.10

... vou ali ouvir mais música assim e já volto.

E este ano, foi assim:

por omundodosqueijos, em 11.07.10
O fim-de-semana anual de amigos, este ano foi na xerra. Para quem não xoubesse o caminho e xentisse a nexexidade de preguntar à alguém do povo, onde ficava a Casa Santo Hilário, Ildefonso, ou outro qualquer, tinha como resposta:
- Xegue, xegue, xegue sempre em frente.
A casa tinha uma piscina com trampolim, também teve um colchão de casal (que serviu para dois, três ou quatro meninos trocarem publicamente afectos, enquanto tomavam banhos de sol).

À noite, sem contar mas que até soube muito bem, tínhamos mesmo ao lado, a festa da terriola. Pois está claro, que depois de um belo dia de banhos, de uma bela jantarada, fomos todos aprontarmo-nos e perfumarmo-nos para não perder pitada, da festa. Pezinho na rua, ouvimos do palco chamarem pelas meninas bonitas. Não nos fizemos rogados e saltamos todos (meninos e meninas) lá para cima, depois foi só deixar a nossa veia artística falar mais alto. Dançamos, encantamos, agradecemos os aplausos e vá descemos depressa porque caiu em nos um pingo de vergonha.

Foi o meu auge na carreira musical, certamente não voltarei a ter um momento tão alto.
Dia seguinte, foi acordar com a missa da aldeia a soar em todos os altifalantes. Resultado: acordar mais cedo, beber um martini para evitar possíveis dores de cabeça e, assistir em silêncio à missa campal.

Resto do dia: Muito cansativo.
Conclusão: Melhor fim-de-semana de amigos anual!

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Favoritos